terça-feira, 11 de maio de 2010

Reconstruir é o Futuro!

Lisboa apresenta números elevadíssimos de edifícios devolutos ou em mau estado de conservação, e no entanto, verifica-se um crescimento na construção de novos edifícios. Apesar dos incentivos que se vão criando para a reconstrução, são poucos os exemplos de sucesso. Mais do que regulamentar e incentivar a reconstrução, é necessário consciencializar os arquitectos e os clientes para a reconstrução, pois o "parque edificado" existente é mais do que suficiente para as actuais necessidades, sem esquecer as vantagens urbanas e sociais que a reconstrução de determinados edifícios podem trazer às cidades. Paralelamente a esta consciencialização, será importante dar a conhecer novos processos de ocupação e utilização de edifícios devolutos, pois certamente, as suas características mais particulares e singulares constituirão desafios aos actuais modelos e paradigmas. Deixo-vos com uma intervenção realizada no Porto pela EZZO - César Machado Moreira que demonstra alguma iniciativa nacional.

2 comentários:

Paulo disse...

O meu primeiro impacto com Lisboa e perspectivas futuras de trabalho foi sempre o da Reconstrução/Reabilitação, passando não só por por novo o que está devoluto, mas dar novas vivências e experiências a espaços destes.
E já que as "grandes obras" estão para parar, porque não juntarmo-nos, Arquitecto e Engenheiro e fazer umas casinhas?

Diogo Lima disse...

A questão vai muito além de "nos juntarmos e fazermos umas casinhas", apesar de ter o prazer de poder trabalhar um dia contigo, mas voltemos à questão principal, será sempre necessário consciencializar primeiro as entidades públicas e as entidades financiadoras do mercado imobiliário, uma vez que estas é que têm o poder de alterar o rumo das coisas, nós enquanto técnicos temos é o dever de agarrar nas oportunidades que nos são criadas e rumarmos na direcção certa. Agora em relação à tua questão de nos juntarmos, é sempre bem-vinda e desde que surjam oportunidades de trabalho, estarei sempre disposto a desenvolvê-las contigo! Um Abraço